Daily Calendar

Total de visualizações de página

Ocorreu um erro neste gadget

Wic Wac Woe

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

MooreKearsley








Biografias e resumo do livro:
EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: Uma Visão Integrada
Michael Moore e Greg Kearsley
Identificar no autor Moore :
MOORE, Michael; KEARSLEY, Greg. A educação a distância: uma visão integrada. Trad. Roberto Galman. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

Biografia Inglês: Michael Grahame Moore

http://www.eden-online.org/contents/conferences/research/barcelona/Moore.pdf


Ph.D., Adult Education
University of Wisconsin-Madison,
Professor of Education
The Pennsylvania State University
E-mail: mgmoore@psu.edu

Areas of interest: Distance Education, International Development.

Michael G. Moore is known in academic circles for his leadership in promoting the scholarship of distance education in the United States. He published his first statement of theory about distance education in 1972, and has achieved a number of "firsts" in this field. While teaching the first graduate course in this subject at University of Wisconsin in the mid 70's he was contributory to founding the national annual conference there.
Coming to Penn State in 1986 he founded the first American journal (American Journal of Distance Education), established the first Sequence of taught graduate courses, a national research symposium, and an on-line community of interest (DEOS).
Before joining Penn State in 1986 he worked for nine years at the British Open University and has experience of teaching in all technologies and most client groups.
Moore has served on the editorial boards of all the main distance education journals and his publications include Contemporary Issues in American Distance Education (Pergamon Press, 1990) Distance Education: a Systems View, co-authored with Greg Kearsley (Wadsworth Publishers, 1996 and 2005), subsequently published in Chinese, Japanese and Korean, and the Handbook of Distance Education (2003 and 2007).
Academic degrees in both economics and education, and an early seven year career in African education led to a lifelong interest in education for development. This has included employment at the World Bank and numerous consulting assignments for UNESCO, the International Monetary Fund, and the Commonwealth of Learning as well as several foreign governments.


Biografia Português: Michael Grahame Moore
http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://www.eden-online.org/contents/conferences/research/barcelona/Moore.pdf&sa=X&oi=translate&resnum=10&ct=result&prev=/search%3Fq%3Dsite%2BMichael%2BGrahame%2BMoore%26hl%3Dpt-BR%26client%3Dfirefox-a%26channel%3Ds%26rls%3Dorg.mozilla:pt-BR:official%26hs%3DbFh%26sa%3DG
E-mail: mgmoore@psu.edu

Michael Grahame Moore é professor e investigador, tendo sido um dos pioneiros na educação a distância. Na sua carreira tem um percurso variadíssimo, tendo experienciado os mais diversos níveis de ensino e meritoriamente apoiado países em vias de desenvolvimento nos seus programas de ensino a distância.
Michael Moore licenciou-se em Economia em 1959 pela London School of Economics, tendo no ano seguinte obtido habilitações para professor do ensino secundário pelo Goldsmith's College de Londres. Durante quatro anos deu aulas de história e geografia no ensino secundário em Inglaterra, e foi professor voluntário em cursos de educação de adultos. Nos anos seguintes esteve no Quênia onde, para além de dar aulas de economia, desenvolveu um dos primeiros programas de educação a distância de África, transmitido pela rádio.
Em 1970 Moore obteve um lugar de assistente na Universidade de Wisconsin-Madison, no estado americano de Wisconsin, onde estudou a utilização dos meios de comunicação na educação. Nesta universidade publicou as primeiras definições em inglês sobre a teoria de educação a distância, obtendo aqui o doutoramento em 1973. Nos três anos seguintes foi Professor Auxiliar no Departamento de Educação de Adultos na Universidade de S. Francisco Xavier, no Canadá. Fez investigação sobre os diferentes estilos cognitivos no ensino de adultos a distância. Entre 1977 e 1985 foi professor na Universidade Aberta do Reino Unido, onde deu aulas de psicologia educacional e desenhou cursos de educação a distância, em particular de educação de adultos. Neste período visitou várias universidades em Inglaterra e nos Estados Unidos, onde deu cursos pioneiros de educação a distância.
Desde 1986 Moore é professor na Universidade Estatal da Pensilvânia (Penn State). Fundou em 1987 o American Journal of Distance Education, do qual é editor. Fundou ainda o The Distance Education Online Symposium e colaborou com o Banco Mundial no desenvolvimento de estratégias relativas à educação a distância. Participou em diversos projectos internacionais, apoiando dezenas de instituições na criação de sistemas de educação a distância, nomeadamente a nível militar, empresarial, governamental e acadêmico. Organizou também diversas conferências e é editor de várias revistas sobre educação a distância. Tem uma produção científica muito significativa, que conta com dezenas de artigos publicados e vários livros, entre os quais se encontra o Distance education: a systems view, que recebeu o prêmio de melhor livro pela The National Continuing Education Association Independent Study Division. Michael Moore pertence ao quadro de honra do United States Distance Learning Association e está referenciado no livro The International Who's Who in Distance Learning.
Site Greg Kearsley: http://home.sprynet.com/~gkearsley/
To contact Dr. Kearsley, send e-mail to: gkearsley@sprynet.com

Biografia Inglês:
Greg Kearsley is currently an independent consultant specializing in online education. He has designed online courses for NCREL, Walden Institute and the MEPP program at the University of Wisconsin. He has taught at many universities including the University of Maryland, Nova Southeastern University and the George Washington University; was the Chief Executive Officer of Park Row Inc., a software publishing company in San Diego; chief scientist of Courseware Incorporated, a training development firm based in San Diego; and a senior scientist at the Human Resources Research Organization (HumRRO) in Alexandria, VA.
Dr. Kearsley received his PhD in educational psychology from the University of Alberta in 1978 and has written many books and articles about technology and education. His most recent book is Online Learning: Personal Reflections on the Transformation of Education. (For a more detailed list of publications, see resume)
Biografia Português:
Greg Kearsley é atualmente um consultor independente especializado em educação on-line. He has designed online courses for NCREL, Walden Institute and the MEPP program at the Ele foi projetado para cursos online NCREL, Walden Instituto eo PPMO programa ao University Universidade of de Wisconsin . Ele ensinou em diversas universidades inclusive a University of Maryland, Nova Southeastern University and the George Washington University; was the Chief Executive Officer of Park Row Inc., a software publishing company in San Diego; chief scientist of Courseware Incorporated, a training development firm based in San Diego; and a senior scientist at the Human Resources Research Organization ( HumRRO ) in Alexandria, VA.
Ele lecionou em várias universidades, incluindo a Universidade de Maryland, Nova Southeastern University e da Universidade George Washington, foi o Chief Executive Officer da Park Row Inc., uma companhia do software publicando em San Diego, cientista chefe de courseware Incorporated, uma empresa de formação desenvolvimento baseada em San Diego, e um cientista sênior na Investigação de Recursos Humanos (Organização HumRRO) em Alexandria, VA.
Dr. Kearsley received his PhD in educational psychology from the Dr. Kearsley recebeu seu doutorado em psicologia educacional a partir da University Universidade of de Alberta in 1978 and has written many books and articles about technology and education. em 1978 e já escreveu vários livros e artigos sobre tecnologia e educação. His most recent book is Online Learning: Personal Reflections on the Transformation of Education . Seu livro mais recente é Online Learning: Reflexões Pessoais sobre a Transformação da Educação. (For a more detailed list of publications, see resume ) (Para uma lista mais detalhada de publicações, ver currículo)
To contact Dr. Kearsley, send email to: gkearsley@sprynet.com
Para entrar em contato com o Dr. Kearsley, envie um email para: gkearsley@sprynet.com

Education Inglês:
Ph.D. - Educational Psychology, University of Alberta, 1978
M.S. - Theoretical Psychology, University of Alberta, 1976
B.S. - Experimental Psychology, University of Toronto, 1973
Professional Experience:
Online Learning Consultant, U.S. Merchant Marine Academy, Dept Marine Engineering, 2006-present. Work with faculty and staff to develop courses and procedures for an online Master’s degree program.
Online Learning Consultant, North Central Regional Education Laboratory, 2002-2005. Created online professional development courses for K-12 teachers and administrators.
eLearning Course Developer, Walden Institute, 1999-2002. Created web-based courses and programs for professional training in areas of ecommerce and management skills.
Technology Consultant, The Economic Development Institute of the World Bank, 1994-95. Created strategic plan for technology-based training and assisted staff with use of instructional technology.
Senior Research Associate , Army Research Institute, 1991-1992. Developed a hypertext database of instructional theories relevant to adult learning [National Research Council Fellowship].
Chief Executive Officer of Park Row Inc., a software publishing company, 1985-1990. In addition to daily management responsibilities, he was responsible for all product development and support activities. Provided consulting in software design and instructional technology.
Chief scientist of Courseware Incorporated, 1984-1985. In this position he guided the technical direction of the company and managed R&D activities. Areas of special interest were artificial intelligence and automated instructional systems.
Senior scientist at the Human Resources Research Organization (HumRRO), 1980-1983. At HumRRO, he was involved in a wide range of human factors projects for corporate and government clients.
Instructional Designer at Courseware Incorporated, 1978-1980. Developed and managed computer-based training courses for corporate and government clients.
Teaching Experience:
University of Wisconsin, Madison - Adjunct/Visiting Professor, Engineering Professional Development Dept. 1983-2004.
University of Maryland, College Park - Adjunct Professor, Distance Education Program. 2001-2003.
Nova Southeastern University - Program Professor, Fischler Center for the Advancement of Education, Instructional Technology & Distance Education program. 1997 - 1998.
George Washington University - Adjunct Professor, Graduate School of Education & Human Development, HRD and Ed Leadership depts, 1989 - 1997.
National University - Lecturer, Telecommunications Management, Information Systems, Instructional Technology programs, 1985-89.
University of San Francisco - Lecturer, School of Education, 1983-86.
San Diego State - Adjunct Instructor, Educational Technology Dept.,1984
Catholic University, Washington, D.C. - Lecturer, School of Education, 1983.
University of California, San Diego - Lecturer, Extension, 1978-79.
Major Publications (including software and web sites):
Distance Education: A Systems Perspective, Second Edition. Wadsworth, Belmont, CA. 2005. (with M. Moore)
Online Learning: Personal Reflections on the Transformation of Education. Englewood Cliffs, NJ: Educational Technology Publications. 2005.
MEPP: The Faculty Experience. Videotape/DVD. Engineering Professional Development Dept, University of Wisconsin, Madision. 2002/2003.
Online Education: Learning and Teaching in Cyberspace. Book version: Wadsworth, Belmont, CA. 2000.WWW version: [http://home.sprynet.com/sprynet/gkearsley/cyber.htm] 1999-2001.
Technology, Learning & Organizations. Book version: CRC/St Lucie Press, 1998. WWW version: [ http://www.gwu.edu/~lto ] 1997 - 2000.
A Celebration of Teaching Excellence. - CD-ROM/Videotape George Washington Univ. 1996.
Distance Education: A Systems Perspective. Wadsworth, Belmont, CA. 1996. (with M. Moore)
Exploring Learning & Instruction: The Theory into Practice Program. Hypertext database available in Hyperties, HyperCard, and via WWW [ http://tip.psychology.org ]. 1992 -2005.
Public Access Systems: Bringing Computer Power to the People. Ablex, Norwood, NJ. 1994.
Educational Technology: Leadership Perspectives. Educational Technology
Publications, Englewood Cliffs, NJ. 1994. (with W. Lynch)
We Teach With Technology: New Visions for Education. Franklin Beedle & Assoc. Irvine, CA. 1992. (with B. Hunter and M. Furlong)
Computers for Educational Administrators. Ablex, Norwood, NJ. 1990.
Adminsim (MS-DOS). San Diego, CA: Park Row Inc. 1989
Hypertext Hands-On! A New Way of Accessing and Organizing Information. Addison-Wesley, Reading, MA. 1989. (with B. Shneiderman)
Online Help Systems. Ablex, Norwood, NJ. 1988.
Problem Analysis (MS-DOS), San Diego, CA: Park Row Inc. 1988
Artificial Intelligence and Instruction. Addison-Wesley, Reading, MA. 1987.
The CBT Analyst (MS-DOS). San Diego, CA: Park Row Inc. 1987.
Authoring: A Guide to the Design of Instructional Software. Addison-Wesley, Reading, MA. 1986.
Guide to Managing Information with Your PC. Scott, Foresman & Co. Glenview, IL. 1986.(with B. Hunter & H. Hunter)
Cost/Benefits Analysis (MS-DOS). San Diego, CA: Park Row Inc. 1986.
Guide to Telecommunications for Your IBM PC. Scott, Foresman & Co. Glenview, IL. 1985.(with B. Hunter & H. Hunter)
Training for Tomorrow: Distributed Learning Through Computer and Communications Technology. Addison-Wesley, Reading, MA. 1985.
Computers for Kids Over Sixty. Addison-Wesley, Reading, MA. 1984. (with M. Furlong)
Training & Technology: A Handbook for HRD Professionals. Addison-Wesley, Reading, MA. 1984.
Computer Based Training: A Guide to Selection and Implementation. Addison-Wesley, Reading, MA. 1983.
Costs, Benefits & Productivity in Training Systems. Addison-Wesley, Reading, MA. 1982.

Educação Português:
Ph.D. - Educational Psychology, University of Alberta, 1978 - Psicologia Educacional, Universidade de Alberta, 1978
MS - Theoretical Psychology, University of Alberta, 1976 MS - Teórica Psicologia, Universidade de Alberta, 1976
BS - Experimental Psychology, University of Toronto, 1973 BS - Experimental Psychology, University of Toronto, 1973
Professional Experience: Experiência Profissional:
Online Learning Consultant, US Merchant Marine Academy, Dept Marine Engineering , Online Learning Consultor, E.U. Merchant Marine Academy, Dept Marine Engineering, 2006 -present. Work with faculty and staff to develop courses and procedures for an online Master’s degree program. 2006-presente. Trabalhe com docentes e pessoal para desenvolver cursos on-line e procedimentos para um mestrado programa.
Online Learning Consultant , North Central Regional Education Laboratory, 2002-2005. Created online professional development courses for K-12 teachers and administrators. Online Learning Consultor, Laboratório Regional de Educação do Norte Central, 2002-2005. Criado online cursos de desenvolvimento profissional para K-12 professores e administradores.
eLearning Course Developer, Walden Institute, 1999-2002. Criou web-based courses and programs for professional training in areas of ecommerce and management skills. eLearning Curso desenvolvedor, Instituto Walden, 1999-2002. Criado com base na web cursos e programas de treinamento profissional em áreas de comércio eletrônico e gestão.
Technology Consultant , The Economic Development Institute of the World Bank, 1994-95. Consultor Tecnologia, Desenvolvimento Econômico O Instituto do Banco Mundial, 1994-95. Created strategic plan for technology-based training and assisted staff with use of instructional technology. Criado em plano estratégico para a tecnologia à base de formação e assistência pessoal com utilização de tecnologia instrucional.
Senior Research Associate , Army Research Institute, 1991-1992. Developed a hypertext database of instructional theories relevant to adult learning [National Research Council Fellowship]. Senior Research Associate, Army Research Institute, 1991-1992. Desenvolvido hipertexto uma base de dados de instrução teorias relevantes para adultos [Conselho Nacional de Pesquisa Fellowship].
Chief Executive Officer of Park Row Inc., a software publishing company, 1985-1990. In addition to daily management responsibilities, he was responsible for all product development and support activities. Provided consulting in software design and instructional technology. Chief Executive Officer da Park Row Inc., um software Publishing Company, 1985-1990. Além da gestão diária responsabilidades, ele foi responsável por todo o desenvolvimento dos produtos e atividades de apoio. Contanto consultoria em software design instrucional e tecnologia.
Chief scientist of Courseware Incorporated, 1984-1985. In this position he guided the technical direction of the company and managed R&D activities. Cientista Chefe de courseware Incorporated, 1984-1985. Nesta posição ele guiou a direção técnica da empresa e geridos em I & D actividades. Areas of special interest were artificial intelligence and automated instructional systems. Áreas de especial interesse foram inteligência artificial e sistemas automatizados instrucionais.
Senior scientist at the Human Resources Research Organization ( HumRRO ), 1980-1983. At HumRRO , he was involved in a wide range of human factors projects for corporate and government clients. Senior cientista na Investigação de Recursos Humanos (Organização HumRRO), 1980-1983. Na HumRRO, ele estava envolvido em uma ampla gama de fatores humanos projetos para clientes corporativos e governamentais.
Instructional Designer at Courseware Incorporated, 1978-1980. Developed and managed computer-based training courses for corporate and government clients. Designer Instrucional em courseware Incorporated, 1978-1980. Desenvolvido e gerenciado computador baseado em cursos de formação para clientes corporativos e governamentais.
Teaching Experience: Teaching Experience:
University Universidade of de Wisconsin Wisconsin , Madison - Adjunct/Visiting Professor, Engineering Professional , Madison - Adjunto / Professor Visitante, Engenharia Profissional Development Dept. 1983- Departamento de Desenvolvimento 1983 -- 2004. 2004.
University Universidade of de Maryland Maryland , , College Park College Park - Adjunct Professor, Distance Education Program. 2001-2003. - Professor Adjunto, Programa de Educação a Distância. 2001-2003.
Nova Southeastern University - Program Professor, Fischler Center for the Advancement of Education, Instructional Technology & Distance Education program. Nova Southeastern University - Programa Professor, Fischler Centro para o Progresso da Educação, Instructional Technology & Distance Education Program. 1997 - 1998. 1997 - 1998.
George Washington University - Adjunct Professor, Graduate School of Education & Human Development, HRD and Ed Leadership depts , 1989 - 1997. George Washington University - Professor Adjunto, Escola Superior de Educação e Desenvolvimento Humano, DRH e Ed Liderança DEPARTAMENTOS, 1989 - 1997.
National Nacional University Universidade - Lecturer, Telecommunications Management, Information Systems, Instructional Technology programs, 1985-89. - Professor, Gestão de Telecomunicações, Sistemas de Informação, Tecnologia Instrucional programas, 1985-89.
University Universidade of de San Francisco San Francisco - Lecturer, School of Education, 1983-86. - Professor da Faculdade de Educação, 1983-86.
San Diego State - Adjunct Instructor, Educational Technology Dept.,1984 San Diego State - Instrutor Adjunto, Departamento de Tecnologia Educacional, 1984
Catholic University, Washington, DC - Lecturer, School of Education, 1983. Universidade Católica de Washington, DC - Professor da Faculdade de Educação, 1983.
University Universidade of de California Califórnia , San Diego San Diego - Lecturer, Extension, 1978-79. - Professor, Extensão, 1978-79.
Major Publications (including software and web sites): Principais Publicações (incluindo software e web sites):
Distance Education: A Systems Perspective, Second Edition. Educação à Distância: Uma Perspectiva Systems, Second Edition. Wadsworth Wadsworth , , Belmont Belmont , CA. 2005. ( with M. Moore) , CA. 2005. (Com M. Moore)
Online Learning: Personal Reflections on the Transformation of Education. Online Learning: Reflexões Pessoais sobre a Transformação da Educação. Englewood Englewood Cliffs, NJ: Educational Technology Publications. Cliffs, NJ: Educational Technology Publications. 2005. 2005.
MEPP: The Faculty Experience . Videotape/DVD. Engineering Professional Development Dept, PPMO: A Faculdade experiência. Câmera / DVD. Departamento de Engenharia de Desenvolvimento Profissional, University Universidade of de Wisconsin Wisconsin , Madision . 2002/2003. , Madision. 2002/2003.
Online Education: Learning and Teaching in Cyberspace. Book version: Online Educação: Ensino e Aprendizagem no Ciberespaço. Reservar versão: Wadsworth , Belmont , CA. 2000.WWW version: [http://home.sprynet.com/sprynet/gkearsley/cyber.htm] 1999-2001. 2000.WWW versão: [http://home.sprynet.com/sprynet/gkearsley/cyber.htm] 1999-2001.
Technology, Learning & Organizations. Tecnologia, Aprendizado & Organizations. Book version: CRC/St Lucie Press, 1998. Reservar versão: CRC / St Lucie Press, 1998. WWW version: [ http ://www.gwu.edu/~lto ] 1997 - 2000. WWW versão: [http: / / ~ www.gwu.edu/ LTO] 1997 - 2000.
A Celebration of Teaching Excellence. - CD-ROM/Videotape George Washington Univ. Uma Celebração do Ensino de Excelência. - CD-ROM/Videotape George Washington Univ. 1996.
Distance Education: A Systems Perspective. Educação à Distância: Uma Perspectiva Systems. Wadsworth , Belmont , CA. , CA. 1996. (with M. Moore) (com M. Moore)
Exploring Learning & Instruction: The Theory into Practice Program. Hypertext database available in Hyperties , HyperCard, and via WWW [ http ://tip.psychology.org ]. Explorando Learning & Instruction: A teoria em prática Programa. Hypertext dados disponíveis em Hyperties, HyperCard, e através da WWW [http: / / tip.psychology.org]. 1992 -2005. 1992 -2005.
Public Access Systems: Bringing Computer Power to the People. Ablex , Sistemas de Acesso Público: Colocar os computadores para o povo. Ablex, Norwood Norwood , , NJ NJ . 1994 . . 1994.
Educational Technology: Leadership Perspectives. Educational Technology Tecnologia Educacional: Liderança Perspectivas. Tecnologia Educacional
Publications, Publicações, Englewood Englewood Cliffs, NJ. 1994. Cliffs, NJ. 1994. ( with W. Lynch) (Com W. Lynch)
We Teach With Technology: New Visions for Education. Franklin Beedle & Assoc. Nós ensinamos Com Tecnologia: Novas Perspectivas para a Educação. Franklin Beedle & Assoc. Irvine, CA. Irvine, CA. 1992. ( with B. Hunter and M. Furlong) (Com Hunter B. e M. Furlong)
Computers for Educational Administrators. Computadores para administradores educacionais. Ablex , Ablex, Norwood Norwood , , NJ NJ . 1990 . . 1990.
Adminsim (MS-DOS). Adminsim (MS-DOS). San Diego , CA Califórnia : Park Row Inc. 1989 : Park Row Inc. 1989
Hypertext Hands-On! A New Way of Accessing and Organizing Information. Addison-Wesley, Hypertext Hands-On! Uma nova maneira de acessar e organizar informações. Addison-Wesley, Reading Leitura , , MA MA . 1989. ( with B. Shneiderman ) . 1989. (Com B. Shneiderman)
Online Help Systems. Ablex , Online Help Systems. Ablex, Norwood Norwood , , NJ NJ . 1988 . . 1988.
Problem Analysis (MS-DOS), Problema Análise (MS-DOS), San Diego San Diego , CA Califórnia : Park Row Inc. 1988 : Park Row Inc. 1988
Artificial Intelligence and Instruction. Addison-Wesley, Inteligência Artificial e Instrução. Addison-Wesley, Reading Leitura , , MA MA . 1987 . . 1987.
The CBT Analyst (MS-DOS). O TCC Analyst (MS-DOS). San Diego San Diego , CA Califórnia : Park Row Inc. 1987. : Park Row Inc. 1987.
Authoring: A Guide to the Design of Instructional Software. Autor: Um Guia para o Design Instrucional de Software. Addison-Wesley, Addison-Wesley, Reading Leitura , , MA MA . 1986 . . 1986.
Guide to Managing Information with Your PC. Scott, Foresman & Co. Guia para gestão da informação com o seu PC. Scott, Foresman & Co. Glenview , IL . 1986.( with B. Hunter & H. Hunter) (Com B. & H. Hunter Hunter)
Cost/Benefits Analysis (MS-DOS). , Análise custos / benefícios (MS-DOS). San Diego San Diego , CA Califórnia : Park Row Inc. 1986. : Park Row Inc. 1986.
Guide to Telecommunications for Your IBM PC. Scott, Foresman & Co. Guia de Telecomunicações para o seu IBM PC. Scott, Foresman & Co. Glenview , IL . 1985.( with B. Hunter & H. Hunter) (Com B. & H. Hunter Hunter)
Training for Tomorrow: Distributed Learning Through Computer and Communications Technology. Addison-Wesley, Formação para o Futuro: Aprendizagem Através de Computação Distribuída e Comunicações Tecnologia. Addison-Wesley, Reading Leitura , , MA MA . 1985 . . 1985.
Computers for Kids Over Sixty. Addison-Wesley, Computadores para crianças mais de sessenta. Addison-Wesley, Reading Leitura , , MA MA . 1984. ( with M. Furlong) . 1984. (Com M. Furlong)
Training & Technology: A Handbook for HRD Professionals. Addison-Wesley, Formação e Tecnologia: Um Manual para HRD Professionals. Addison-Wesley, Reading Leitura , , MA MA . 1984 . . 1984.
Computer Based Training: A Guide to Selection and Implementation. Addison-Wesley, Computer Based Training: Um Guia para a selecção e execução. Addison-Wesley, Reading Leitura , , MA MA . 1983 . . 1983.
Costs, Benefits & Productivity in Training Systems. Addison-Wesley, Custos, benefícios e Produtividade nos sistemas de formação. Addison-Wesley, Reading Leitura , , MA MA . 1982. . 1982.

ISBN: 8522105766. Categoria: Educação. Ano de publicação: 2007. Número de páginas: 424. Preço: R$ 54,90
http://www.thomsonlearning.com.br/detalheLivro.do;jsessionid=F1AF0893CC7C6D629E3BE33B69CA4841?id=104682



Capturado do site:
http://blog.joaomattar.com/2007/09/21/a-educacao-a-distancia-uma-visao-integrada/ as 09 hs 12/01/2009

A Educação a Distância: uma visão integrada
MOORE, Michael; KEARSLEY, Greg. A educação a distância: uma visão integrada. Trad. Roberto Galman. São Paulo: Thomson Learning, 2007.
Resenha por João Mattar.

Este livro foi dado como brinde a todos os participantes do Congresso da ABED em Curitiba (2007), e como eu já tinha utilizado bastante as idéias do Michael Moore em meu ABC da EaD, decidi ler logo e não enrolar! Vou na verdade chamar a atenção para alguns temas que me interessam mais nesta resenha, e em alguns casos inclusive problematizá-los, sem a preocupação de cobrir exaustivamente todos os tópicos da obra.

Capítulo 1: Conceitos básicos.
Obviamente, é um capítulo conceitual, mas uma idéia me interessa de perto:
“Embora existam alguns especialistas em conteúdo que também possuem aptidão para elaboração de instruções e outros que têm conhecimento de tecnologia, muito poucos são igualmente especialistas nessas três áreas. É melhor que essas responsabilidades sejam assumidas por especialistas diferentes.” (p. 15).
“[…] não é possível que os criadores sejam também instrutores. De modo algum, de um ponto de vista pedagógico, isso é desejável, pois a instrução requer um conjunto especial de aptidões, diferentes daquelas dos criadores e dos especialistas na matéria, sendo mais bem realizado quando for o trabalho de pessoas que se dedicam ao estudo, ao desenvolvimento e à prática dessas aptidões.” (p. 17)
Os autores falam ainda de especialistas em avaliação. Esta idéia vai de encontro (contra) o conceito de aututor, que pretendo desenvolver em detalhes em um post nos próximos dias.

Capítulo 2: Contexto histórico.
Ao contrário de Otto Peters, que divide a história da EaD em 3 gerações (ensino por correspondência, novas mídias/universidades abertas, e EaD online), os autores apontam 5 gerações, que estudam em detalhe:
Primeira Geração: Ensino por Correspondência
Segunda Geração: Rádio e Televisão
Terceira Geração: Abordagem Sistêmica (incluindo as Universidades Abertas)
Quarta Geração: Teleconferência
Quinta Geração: Computador e Internet

Capítulo 3: O objetivo da educação a distância.
Este é um exemplo de um livro mal escolhido e/ou mal adaptado ao mercado brasileiro: a partir da página 50 e por várias páginas, inclusive em outros capítulos, são citados apenas exemplos de instituições e programas fora do Brasil, que em muitos casos não têm praticamente interesse nenhum para o leitor brasileiro, como educação militar norte-americana, high schools etc.
De qualquer maneira, o capítulo apresenta uma lista comentada de instituições que oferecem cursos a distância, boa parte das quais aparecem nos links de EaD deste blog.

Capítulo 4: Tecnologias e mídias.
Os autores defendem que as mídias de áudio e vídeo são subutilizadas em EaD, dentre outros motivos pois exigem conhecimento profissional especializado. Ao mesmo tempo, criticam a produção amadora de áudio e vídeo em função dos novos softwares que podem ser utilizados em computadores pessoais, indo novamente de encontro (contra) a idéia do aututor:
“Existem muitos poucos especialistas nas disciplinas que têm o tempo e o conhecimento para também serem excelentes produtores, portanto, em termos gerais, é melhor deixar esses aspectos técnicos de produção de materiais de áudio e vídeo para as pessoas que dedicaram suas carreiras à aquisição e manutenção de conhecimentos profissionais.” (p. 83)
Nas p. 84 e 85 são apresentados critérios para a utilização da tv como mídia.
Como já disse, vou analisar essas idéias nos próximos dias, em um post separado.
As áudioconferências são também negligenciadas em EaD, na opinião dos autores.
Na p. 94 são citados os ambientes Blackboard, WebCT, FirstClass, e Classroom, Web-4M e Groupware, e são também indicados sites onde essas ferramentas são comparadas.
Na p. 98 é apresentada uma tabela com os pontos fracos e fortes de diversas tecnologias, como texto impresso, gravações em áudio, rádio/televisão, teleconferência, e aprendizado por computador e baseado na web.

Capítulo 5: Criação e desenvolvimento de cursos.
Quando discutem os estágios da criação educacional, os autores defendem que é necessário saber o que se pretende transmitir para determinar o que se deve medir. Na p. 113, falam inclusive de “esboços daquilo que deve ser ensinado”. Isso parece óbvio, mas será? No caso da educação bancária, isso funciona bem - o objetivo da educação é simplesmente depositar conhecimentos no estudante, e então bastaria medir se ele os absorveu. Se o objetivo da educação é, ao contrário, ensinar a aprender a equação não fica tão óbvia. Dependendo do que se quer “transmitir” (informações? aprendizagem? etc.), o conteúdo da EaD será mais ou menos dispensável.
Os autores defendem também que pouco deve ser deixado para uma tomada de decisão específica no estágio de implementação de um curso a distância. Isso também parece óbvio para determinado modelo, que aposta no alto grau de estruturação dos cursos. Para um modelo que preza a interação entre professores e alunos, e a construção de conhecimento daí derivada, é necessário imaginar que o design do curso não termine antes de o aluno ter acesso às aulas, mas que ele também se desenvolva em função do ritmo e dos interesses da turma. Além de que, com conteúdos mais flexíveis, sobre os quais o tutor possa interferir e que possa alterar, torna-se bem mais simples atualizar o conteúdo e as atividades de um curso, de um semestre ou módulo para o outro, e inclusive de testar diferentes materiais com os alunos.
Os autores diferenciam também dois modelos para o desenvolvimento de conteúdo: autor-editor e equipe, que incluiriam produtores da web, editores de texto, designers gráficos, produtores de rádio e televisão, profissionais de elaboração de instrução, bibliotecários e fotobibliotecários. Nesse sentido, não é mais o professor quem ensina, e sim um sistema. Deve-se lembrar que uma equipe como esta exige gastos em mão-de-obra, e, portanto, é bastante onerosa, além de implicar um longo tempo para o desenvolvimento de material, e a única maneira de compensar esse custo é atingindo escala, o que vai na direção da massificação da EaD, do uso e re-uso de materiais que muitas vezes já se tornaram obsoletos etc.
Na p. 116 são apresentadas as diversas partes de um guia de estudos.
É ainda ressaltada a importância de haver espaços em branco nos textos, o que facilita a interação do aluno com o conteúdo.
Novamente, os autores insistem que o potencial das audioconferências é subestimado.
São citadas ainda algumas ferramentas autorais, como Authorware, Toolbook, Director e Flash, e programas de edição na web, como Front Page e Dreamweaver, ou mesmo o Word e o Powerpoint, que em suas últimas versões podem salvar documentos em html. É ainda ressaltado o poder de desenvolvimento de conteúdo dos próprios LMSs.
São ainda citados sites com orientações para o desenvolvimento de materiais para a web e cursos online (criei então uma categoria de links, Design Online, para ampliarmos esses sites e inclusive os avaliarmos logo mais):
Usability.gov
Principles of Online Design
DesignShop
Template Toolkit
Cast
O capítulo ainda menciona o TEACH (The Technology, Education, and Copyright Harmonization Act), lei desde 2002 nos Estados Unidos, que atualiza a lei de direitos autorais em função da EaD. Além disso, na p. 134 são indicados alguns sites que tratam dessas questões.

Capítulo 6: O ensino e os papéis do instrutor.
Neste capítulo, graças a Deus, é destacada a importância do trabalho do instrutor em EaD. Eles seriam os olhos e ouvidos do sistema, no contato constante com os alunos:
“Os administradores que dificultam esse trabalho impondo uma carga muito grande - isto é, um grande número de alunos por instrutor - se arriscam a se responsabilizarem por um sério dano à qualidade de seu programa.” (p. 152).
Infelizmente, temos assistido a isso em muitas instituições que praticam EaD no Brasil, sem poder de reação dos professores e sem qualquer tipo de responsabilização dos administradores pela baixa qualidade desses cursos. Sempre fui a favor do Estado liberal, mas nesse caso já passou da hora de o MEC e/ou a ABED se mobilizarem.
O capítulo apresenta também pesquisas (p. 169-170) que mostram que, invariavelmente, os professores de EaD reclamam da falta de treinamento e de apoio.
O capítulo destaca também a importância do equilíbrio entre a apresentação de conteúdos, a interação dos alunos com o conteúdo, a interação aluno/instrutor e a interação entre os alunos.
A partir da p. 159, são descritas as funções do coordenador de local (ou pólo), que no V FUP-RJ alguém batizou ironicamente de “zelador”.
É também discutido o problema dos plágios em EaD e são mencionados 2 ferramentas para detecção de plágio: Plagiarism.org e Gatt.

Capítulo 7: O aluno de educação a distância.
O capítulo começa fazendo referência a um clássico da andragogia, The Adult Learner, de Malcolm Knowles.
Pesquisas indicariam que pessoas mais introvertidas seriam mais propensas à EaD.
É ressaltada a importância de intervenção e apoio quando o aluno de EaD começa a atrasar a entrega de suas tarefas. Sistemas de apoio, orientação e aconselhamento são, portanto, críticos em EaD. Além disso, é necessário que o contato dos alunos com esses serviços, inclusive os administrativos, seja claro e definitivo, sem perda de tempo e sem que o aluno fique sendo jogado de um para o outro, sem que suas necessidades sejam resolvidas.
Em muitos casos, o aluno de EaD não estuda faz tempo, então seriam necessárias atividades de Retorno ao Aprendizado.
A p. 193 apresenta vários sites de apoio ao aluno a distância. É ainda citado o Guide to Developing Online Student Services, que entretanto não tem sido atualizado (o que, aliás, é um problema do próprio livro, como ainda veremos).

Capítulo 8: Dirigentes, administração e políticas.
Neste capítulo, fala-se da importância dos bibliotecários especializados em EaD e de parcerias que possibilitem a utilização de bibliotecas de organizações presenciais. Na p. 209, são indicados sites de diversas bibliotecas que são utilizadas em EaD, alguns dos quais já fazem parte da categoria Pesquisa, nos links deste blog.
Os autores discutem também o potencial da integração entre a internet e videoconferências por satélite.
E aí voltam novamente a defender idéias opostas à do aututor: os materiais do curso precisam ser preparados antes de sua utilização (p. 213).
São também discutidos em detalhe diversos critérios para avaliar a qualidade de cursos on-line (p. 214-216), o que foge um pouco da miopia de que a qualidade da educação é apenas a empregabilidade: avaliação das atividades administrativas; quantidade e qualidade de consultas e matrículas; sucesso dos alunos; satisfação dos alunos; reputação do programa ou da instituição; e qualidade dos materiais do curso. É inclusive mencionado o importante estudo Quality on the Line: benchmarks for success in internet-based education, produzido em 2000 pelo Institute for Higher Education and Policy, que definiu marcos de referência para o sucesso da EaD baseada na Internet (algo que precisamos discutir por aqui!).
São também mencionados alguns prêmios que incentivam boas práticas na EaD (p. 216).
Além da TEACH é também citado o DMCA - Digital Millennium Copyright Act, de 1998. Novamente, aqui, repara-se que o livro está voltado ao público americano, pois não há menção nenhuma às Leis de Direitos Autorais e de Software nacionais, nem mesmo às européias. Ou seja, é um livro que não faz sentido adotar em um curso no Brasil, apesar de este parecer o seu propósito. É quase inacreditável, e um desrespeito com o leitor nacional, que uma editora, editores, consultores etc. produzam uma tradução desse tipo para o português, sem a mínima preocupação com o público-alvo do livro.

Capítulo 9: Teoria e conhecimento da educação a distância.
São aqui discutidas as idéias de alguns teóricos da EaD, como Otto Peters, Michael Moore, Desmond Keegan, Randy Garrison etc. e mencionados Centros de Estudo, como o ACSDE - American Center for the Study of Distance Education.

Capítulo 10: Pesquisa e estudos de eficácia.
Neste capítulo são mencionados alguns jornais importantes de educação a distância, que fazem parte dos links na categoria EaD deste blog.
É também discutida a questão dos custos da EaD e indicado um site que faz cálculo de custos para um projeto de educação a distância online: Determining the Cost of Online Courses.
Na p. 269 há uma afirmação bastante interessante:
“Uma suposição básica na educação a distância é que raramente é possível oferecer programas que tenham ao mesmo tempo qualidade elevada e custo compatível, a não ser que sejam realizados em larga escala razoável.”
De um lado, podemos admitir que economia de escala seja importante para qualquer empreendimento, inclusive de educação presencial, então nesse sentido a afirmação não diz muita coisa com relação à EaD. Mas o que ela diz (ou esconde) em relação à EaD é um modelo de educação a distância (não o único), que vai de encontro (contra) o conceito de aututor. Em primeiro lugar, os autores afirmam que a EaD pressupõe um “investimento maciço” na produção de materiais, o que é discutível se pensamos que há material produzido suficiente de sobra para montar qualquer curso, e que o material pode ser produzido durante o próprio curso pelo aututor e inclusive pelos próprios alunos. Aqui, novamente, a EBaD (Educação Bancária a Distância) é o modelo por trás das afirmações - mas este não é o único modelo de EaD que existe, nem comprovadamente o de melhor qualidade ou custo. EBaD com produção intensiva de conteúdo pré-cursos leva realmente a uma equação na qual um número elevado de alunos precisa usar (na verdade, pagar) o material para que, a partir de certo momento, a instituição tenha seu custo fixo inicial coberto, e então possa começar a lucrar. Mas aí, no meio dessa equação, no desespero para torná-la positiva, já se esqueceu da educação - na verdade, antes mesmo do curso já se esqueceu da educação, pois aqui se está pensando apenas em depositar informações nos alunos. Quanto mais alunos, maior o depósito e maior o lucro! Os próprios autores afirmam:
“Em um bom sistema de educação a distância um grande número de alunos pode fazer o curso, e quanto mais alunos o fizerem, menores os custos médios do curso. É isso que significa economias de escala.” (p. 269).
Isso não pode simplesmente ser tomado, pelos profissionais de EaD, como uma lei imutável e indiscutível de mercado. Ela na verdade carrega consigo um modelo para muitos falido, com muitos pressupostos extremamente discutíveis, como, por exemplo: um curso de EaD significa um conteúdo produzido para ser consumido. Tudo isso discutirei em um post sobre o conceito de aututor, nos próximos dias.

Outro problema deste livro é que os comentários de diversos autores, distribuídos em cinza por diversas páginas, muitas vezes não indicam as fontes nem a data em que foram feitos, o que os torna descontextualizados e metodologicamente questionáveis. Um exemplo (como muitos outros) é o “ponto de vista” de Curtis Bons, na p. 274, na verdade uma previsão do futuro. Ao final do comentário, está escrito: “Fonte: Curtis Bonk, professor na Indiana University e presidente da SurveyShare, Inc.”. Ora, mas o professor não é a fonte: a fonte, que deveria estar indicada, pode ser um texto, um site, uma entrevista etc. - mas isso não é quase nunca indicado nesses comentários. Nem a data em que foram feitos (ou escritos?), o que os torna ainda menos aceitáveis e úteis ao leitor. Tudo se passa como se um caleidoscópio atemporal da EaD (para o público norte-americano) servisse para qualquer um, sem indicar em que local e momento as pessoas falam.

Capítulo 11: O alcance global da educação a distância.
Neste capítulo, os autores se propõem a “apresentar uma visão de conjunto do surpreendente campo de ação em escala mundial da educação a distância.” (p. 277). Mas o exemplo do Brasil deixa bem claro que não é apresentada visão de conjunto nenhuma. Sobre o Brasil, a “visão” se resume à apresentação do Programa Proformação, para formação de professores pelo Governo Federal. O Programa é inclusive citado como exemplo da aplicação correta dos pressupostos do livro. Ora, mas falar apenas desse programa (todos o conhecem?) dá uma visão (de conjunto?) do que se faz em EaD no Brasil? O que devemos esperar então da visão de conjunto dos outros países?
Dentre outras instituições, é citada a Anadolu Üniversitesi, considerada pelos autores a maior do mundo em número de alunos (mas os números apresentados são de 2003!!). São também mencionados programas da Unesco e do Banco Mundial, e a African Virtual University, dentre outros.

Capítulo 12: Educação a distância está relacionada à mudança.
Na p. 312, temos mais um exemplo da falta de atenção dos autores, editores e revisores: há uma afirmação de que a previsão para o custo de um gigabyte de armazenamento cairia, em 2005, para 1 dólar (ora, mas o livro foi lançado no Brasil no final de 2007!!!).

Na página 317 há uma tabela com a previsão de alguns avanços tecnológicos, muitos deles “previstos” para 2004, 2005 e 2006.

Pelo menos, das p. 325 a 327, os autores apresentam uma crítica ao consumismo educacional e a uma visão consumista da EaD, à globalização, à própria padronização etc.
Apêndice: Fontes de informação adicional.
Este Apêndice é genial, pois lista (e comenta em alguns casos): Centros e Organizações (nos Estados Unidos!); Publicações Periódicas, Revistas e Diretórios; Conferências e Oportunidades de Treinamento; Programas de Pós-Graduação; Centros de Pesquisa e Organizações Internacionais; e Referências On-line. Todas já checadas, e as mais interessantes incorporadas aos links deste blog.

Um comentário:

E e J disse...

Moore e Kearsley estão fazendo grandes revoluções no que diz respeito a EAD...
O que você acha?